quinta-feira, 18 de março de 2010

Ela tinha o péssimo hábito de esperar que as coisas saíssem sempre da maneira como ela gostaria. Mas elas quase nunca são.
Pela centésima vez ela esperou, e pela centésima vez se decepcionou.
E então, a alegria que a consumia todos os dias deu uma trégua. Sobrou espaço para aquele sentimento estranho, que carrega consigo uma vontade absurda de entregar-se ao choro.
Mas isso ela não permitiria. Não derramaria uma lágrima sequer.
Vestiu seu casaco de lã preferido e entregou-se ao violão, porque se acaso uma lágrima insistente teimasse em cair, seria pela melodia encantadora da música, jamais por fraqueza! Letícia.

3 comentários:

Raio X disse...

lindo lindo.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Gosto desse... mto bonito!